top of page
Mãe e filhos

Gerando vidas e realizando sonhos!

6 fatores que afetam a taxa de sucesso da inseminação artificial

Atualizado: 3 de mai.


inseminação artificial
inseminação artificial

Antigamente, o termo “inseminação artificial” abrangia tanto a inseminação intracervical (IIC) quanto a inseminação intrauterina (IIU). Entretanto, a IIC está em desuso, pois a IIU apresenta resultados muito melhores. Assim, hoje em dia, quando falamos de inseminação artificial estamos nos referindo apenas à IIU.


Mesmo com boas taxas de sucesso, essa técnica ainda depende de uma série de fatores para ser bem-sucedida, assim como qualquer outro método de reprodução assistida. Pensando nisso, decidi explicar melhor como a inseminação artificial funciona e quais são os pontos que afetam seus resultados e merecem atenção. Então, acompanhe até o final para descobrir tudo!


Como funciona a inseminação artificial?


A inseminação intrauterina é um procedimento que consiste na colocação de espermatozoides, após um preparo no laboratório, no útero da mulher, com o intuito de otimizar a fertilização do óvulo.


A realização da IIU segue um conjunto de etapas cuidadosamente planejadas. Inicialmente, a paciente pode receber tratamento hormonal para estimular os ovários a produzirem múltiplos folículos, cada um contendo um óvulo.


Em seguida, o ciclo menstrual e a ovulação são rigorosamente monitorados por meio de exames de ultrassom. Quando o momento ideal é identificado, uma amostra de sêmen é coletada e processada em laboratório para isolar os espermatozoides saudáveis e móveis.


Posteriormente, um cateter fino é utilizado por um médico ou profissional de saúde para inserir os espermatozoides diretamente no útero, posicionando-os próximos às tubas uterinas, onde aguardam a liberação do óvulo, facilitando assim o processo de fertilização.


Para quem a inseminação artificial é indicada?


A técnica pode ser uma solução tanto para problemas de infertilidade feminina quanto masculina. Veja a seguir alguns dos principais casos para os quais a IIU é indicada:


- Disfunção erétil ou anomalias na anatomia peniana;

- Distúrbios relacionados à ovulação;

- Alterações leves no sêmen;

- Endometriose leve;

- Anormalidades no colo uterino que dificultem a passagem dos espermatozóides;

- Casais homoafetivos femininos, homens trans e mulheres solteiras que precisam de uma doação de sêmen para a gestação.


Quais são os 6 fatores que afetam a taxa de sucesso da inseminação artificial?


Diversos fatores exercem influência significativa na taxa de sucesso da inseminação artificial, e é crucial que um médico especialista em reprodução humana avalie esses aspectos nas primeiras consultas, antes de iniciar o tratamento. Podemos citar como exemplos:


1 - Idade da mulher


A idade da mulher é um fator crítico, pois a qualidade dos óvulos diminui com o tempo. Mulheres mais jovens tendem a ter taxas de sucesso mais altas, enquanto mulheres mais velhas podem enfrentar desafios devido à qualidade dos óvulos.


2 - Saúde geral da mulher


Condições médicas subjacentes, como hipotireoidismo, obesidade e diabetes, podem afetar a resposta à inseminação artificial e as taxas de sucesso.


3 - Qualidade do sêmen


A qualidade do sêmen, incluindo a concentração e motilidade dos espermatozoides, é um fator-chave. A inseminação artificial é mais eficaz em casos de alterações seminais leves ou quando o semen está normal.


4 - Função das tubas uterinas


As tubas uterinas devem estar em boas condições para permitir que o óvulo fertilizado migre para o útero. Problemas como obstruções ou danos nas tubas por endometriose podem prejudicar a taxa de sucesso.


5 - Número de folículos que vão ovular


O número de folículos que crescem e que vão romper, ou seja, ovular é um dos principais fatores relacionados tanto ao sucesso quanto às complicações do procedimento. O ideal seria que a mulher ovulasse com 2 até 3 folículos. Quando o número é maior do que 3, as chances de gestação de múltiplos fetos pode acontecer. Esta é considerada a complicação mais comum no procedimento, mas que pode ser evitada com o devido controle.


6 - Qualidade do acompanhamento médico


A experiência e a competência da equipe médica desempenham um papel crucial no sucesso da inseminação artificial, desde a avaliação inicial até o monitoramento e a realização do procedimento.


Por isso, é crucial procurar um profissional que tenha experiência e seja referência nacional na área.

Felizmente, você encontra tudo isso aqui!


Nós temos uma equipe completa de profissionais com psicólogos, nutricionistas e outros prontos para lhe acolher da melhor forma possível. Somos referência nacional em Reprodução Assistida.


Desde minha especialização, há mais de 20 anos, já temos mais de 1.000 bebês nascidos através da inseminação intrauterina e da fertilização in vitro.


Ficou com alguma dúvida? Marque uma consulta! .



Commentaires


bottom of page