Mãe e filhos

Gerando vidas e realizando sonhos!

Descubra o que é reserva ovariana e sua influência na vida reprodutiva



 

Se você planeja ter filhos um dia, é normal se perguntar por quanto tempo você pode postergar esse plano antes que a idade se torne um problema.

Ao contrário dos homens que produzem continuamente espermatozoides ao longo da vida, as mulheres nascem com uma quantidade finita de folículos ovarianos  — estruturas que armazenam os óvulos — e esse estoque  diminui gradualmente ao longo do tempo.

Compreender como a reserva ovariana se esgota lentamente à medida que você envelhece pode ajudá-la a tomar decisões acertadas, que asseguram suas chances futuras de ter um bebê.

 

O que é reserva ovariana?

 

Reserva ovariana comumente é o termo utilizado para definir a quantidade de folículos presentes nos ovários. Ela reflete como os ovários responderiam ao serem estimulados por hormônios, em termos de óvulos obtidos em uma captação.Por sua vez, os folículos são pequenas bolsas que armazenam os óvulos, isto é, as células femininas que permitem a concepção de um bebê quando há a fecundação por um espermatozoide. Cada folículo contém um óvulo.

 

De modo geral, as mulheres nascem com 1 a 2 milhões de folículos. Esse número diminui de forma lenta e progressiva até por volta de 37 anos, quando a velocidade de perda acelera.. Assim, a reserva ovariana torna-se reduzida à medida que a mulher se aproxima da menopausa.

 

Um pouco de biologia


Os ovários são ovais, com cerca de 3 a 5 cm de comprimento e encontrados em ambos os lados do útero. Essas estruturas contêm folículos que agem como um “ninho” para óvulos imaturos. A cada mês, seus hormônios estimulam muitos desses folículos, fazendo com que os óvulos dentro deles amadureçam.

Mesmo que vários folículos sejam ativados, o ovário geralmente libera apenas um óvulo a cada mês, deixando que os outros sejam absorvidos pelo organismo.  Se o óvulo liberado se encontrar e se unir a qualquer espermatozoide presente em seu trato reprodutivo, ocorre a gravidez (desde que o óvulo fecundado continue a se desenvolver e se implante com sucesso na parede do útero).


Como a reserva ovariana afeta a fertilidade?


A capacidade reprodutiva de uma mulher está diretamente relacionada com a idade e ao número de folículos ovarianos que ela possui ao longo da vida.  À medida que a reserva ovariana vai diminuindo em quantidade e qualidade, mais difícil se torna engravidar naturalmente.

Geralmente, o período mais fértil da vida de uma mulher é entre os 20 e os 30 anos – quando a quantidade e a qualidade dos óvulos estão no auge. Após os 35 anos, quando há um declínio mais acentuado na contagem de folículos, torna-se mais difícil conceber um bebê e aumentam as chances de abortamento. Com uma reserva ovariana baixa, a resposta ao estímulo hormonal é deficiente e obtemos um pequeno número de óvulos para a fertilização. A consequência é umaredução nas chances de engravidar nos tratamentos de reprodução assistida.

Embora a redução da reserva ovariana ocorra devido ao avanço da idade, outros fatores como quimioterapia, tabagimo, endometrioma e tumores ovarianos, cirurgias nos ovários, também podem causar alterações no número de folículos.


Como examinar a reserva ovariana?


Existem dois bons testes comumente usados ​​por especialistas em fertilidade para verificar a reserva ovariana de uma mulher.

O primeiro é a ultrassonografia transvaginal que permite a contagem dos folículos antrais (os pequenos folículos que se desenvolveram e já podem ser vistos) e a determinação do volume ovariano.

O segundo exame é a dosagem no sangue do AMH (hormônio anti-milleriano) que se correlaciona muito bem com o número de folículos.


Como preservar a fertilidade?


Para as mulheres que pretendem ter filhos após os 35 anos (quando sua reserva ovariana já estará menor), a alternativa mais indicada para preservar a fertilidade é a criopreservação dos óvulos, mais conhecida como congelamento de óvulos.

O método mais utilizado e mais eficaz para criopreservação é chamado de vitrificação. Esse método consiste em armazenar as células reprodutoras em nitrogênio líquido a uma temperatura de -196ºC, de modo que elas permaneçam vitrificadas até que a mulher decida engravidar.

Posteriormente, a concepção do bebê pode ser realizada através da fertilização in vitro, técnica de reprodução assistida que permite gerar embriões em laboratório para serem transferidos ao útero materno.


É muito importante salientar que o procedimento para ter uma boa eficácia deve ser feito quando a mulher apresenta uma boa reserva ovariana. Ou seja, o fato de ter uma boa contagem de folículos não deve ser entendido como uma possibilidade de espera, mas sim uma oportunidade de ter bons resultados.

 

Se você deseja realizar o congelamento de óvulos, entre em contato com o Instituto Verhum — que é referência nacional em medicina reprodutiva. Além de oferecer as técnicas mais avançadas para a criopreservação de gametas, o Instituto dispõe de uma equipe multidisciplinar, composta por médicos renomados e altamente capacitados para prover um atendimento humanizado e acolhedor.


Desde sua fundação, o Instituto Verhum já registrou mais de 1000 bebês nascidos, através de procedimentos de reprodução assistida, como a inseminação e a fertilização in vitro.


Para agendar uma consulta, envie uma mensagem para nosso WhatsApp (61) 9670-6687 ou ligue (61) 3365-4545.